Cargos Disputados nas Eleições 2018: Datas, Mandatos

Saber quais são os cargos disputados nas eleições 2018 é necessário para votar de maneira consciente e para exercer a democracia de forma acertada! Para retirar todas as suas dúvidas sobre as regras, obrigações dos cargos disputados nas eleições 2018 e o que cada um deve fazer por você, eleitor, acompanhe o artigo que preparamos abaixo!

Cargos Disputados nas Eleições 2018

Cargos Disputados nas Eleições 2018

Saiba quais são os cargos disputados nas eleições 2018!

A cada 2 (dois) anos os eleitores devem se dirigir até um local de votação para escolher uma série de representantes políticos que irão governar em determinadas funções. Nas eleições gerais que acontecem no Brasil no ano de 2018, os brasileiros vão as urnas para eleger seus representantes para os seguintes cargos:

  • Presidente da República;
  • Governadores;
  • Senadores;
  • Deputados Federais;
  • Deputados Estaduais/Distrital.

As únicas funções que não serão renovadas nas eleições 2018 são:

  • Prefeitos;
  • Vice – Prefeitos;
  • Vereadores.

Os cargos litados acima só deverão ser renovados no ano de 2020!


Obrigações dos cargos disputados nas Eleições 

Você não sabe o que cada político eleito deve fazer por você e a sua comunidade? Não se preocupe, nós iremos explicar cada detalhe. Dessa forma, você poderá cobrá-lo no futuro, caso seu papel não esteja sendo bem realizado!

Função: Presidente da República

O cargo de Presidente da República é atribuído ao candidato que ganhar as eleições por maioria absoluta, o que equivale a mais de 50% dos votos válidos

O Presidente da República exerce as funções de Chefe de Estado e Chefe de Governo, e é a autoridade máxima do Brasil. Sua residência oficial fica situada em Brasília, no Distrito Federal 

Salário: Salário bruto (atualizado em 2012) fixado em R$ 26.723,00, que com os descontos passa para R$ 19.818,00.

Data de mandato: Seu mandato inicia-se em 1º de janeiro de 2019 e termina no dia 31 de dezembro de 2022.


Função: Governadores

Governador é o cargo político que representa o poder executivo na esfera dos Estados e do Distrito Federal. É função do governador: a direção da administração estadual e a representação do Estado em suas relações jurídicas, políticas e administrativas, defendendo seus interesses junto à Presidência e buscando investimentos.

Salário: Seu salário depende do Estado que comanda, e pode variar de R$ 9,6 à R$ 26,7 mil reais. (dependendo do estado)

Data do mantado: Cada Estado brasileiro irá eleger um governador, que terá um mandato de quatro anos, iniciando em 2019 e finalizando em 2022.


Função: Senadores

Um Senador possui um dos principais cargos disputados nas eleições 2018 e é encarregado de representar o estado que o elegeu e tem a responsabilidade de colaborar diretamente para o desenvolvimento de sua região.

Cada estado é representado por 3 (três) senadores no Congresso Nacional. Possuem a missão de defender e garantir suas necessidades, zelar pelos direitos constitucionais do povo, fiscalizar ações e gastos do poder executivo, autorizar operações externas que possam gerar lucro ao Estado, propor leis que beneficiem a população.

Em alguns casos extremos, um Senador poderá até mesmo, julgar o Presidente da República.

Salário: Diferentemente dos Governadores, o salário dos Senadores não modificam de acordo com estado.  Sendo assim o valor fixo é de R$ 26.723,13.

Data do mandato: Terá um mandato de quatro anos, iniciando em 2019 e finalizando em 2022.


Função: Deputado Federal e Estadual

O Deputado Federal representa o por legislativo e faz parte da Câmara dos Deputados. Tem como principais funções as de legislar e fiscalizar os gastos públicos na esfera nacional. 

Já o deputado estadual é o representante do povo nas Assembleias Legislativas. Sua função principal é legislar, ou seja, fazer as leis dos estados. De acordo com o que está definido na Constituição Federal.

Salário: Deputado Federal tem como remuneração mensal o valor de R$ 26.723,13. Já o Deputado Estadual só pode ser fixado com o valor de no máximo em 75% do estabelecido para os Deputados Federais.

Data do mandato: Terá um mandato de quatro anos, iniciando em 2019 e finalizando em 2022.


Data das Eleições 2018

Conforme Emenda Constitucional 16/97, as eleições são realizadas em 1º turno no primeiro domingo de outubro, sendo o 2º turno realizado no último domingo de outubro.

Desta forma as eleições de 2018 irão acontecer nas seguintes datas:

  • 1º turno: 7 de outubro de 2018;
  • 2º turno: 28 de outubro de 2018.

Para não restar dúvidas no momento da votação, leve uma cola eleitoral com os números dos seus candidatos:

Agora que você já sabe cada uma das funções dos cargos disputados nas eleições 2018, estude bem sobre o seu candidato! O futuro do país começa nas urnas eleitorais.

Diferença entre Voto nulo e branco: Como votar na urna!

Se perguntando a diferença entre voto nulo e branco? Apesar dos exercícios democráticos no país ocorrerem a cada 2 (dois) anos, muitos eleitores brasileiros possuem alguma dúvidas no momento em que se encontra em frente a uma urna de votação. Para não ocorrer confusões sobre a diferença entre voto nulo e branco, acompanhe o artigo que preparamos especialmente para você!

Diferença entre Voto nulo e branco

Diferença entre Voto nulo e branco

Apesar do fato de que, daqui a algum tempo seja necessário escolher os novos políticos que irão nos representar em Brasília, você não tem a obrigação de realmente escolher um nome ou partido. Por isso é de grande importância saber a diferença entre voto nulo e branco!

Voto X Voto: Saiba a diferença entre voto nulo e branco!

Apesar de o voto no Brasil ainda ser um ato obrigatório, o eleitor, de acordo com a legislação vigente, é livre para escolher o seu candidato ou até mesmo optar por não escolher candidato algum nas eleições 2018!

Ou seja: o cidadão é obrigado somente a comparecer ao local de votação, ou a justificar sua ausência, mas pode optar por votar em branco ou ainda anular o seu voto!

Para burlar essa ideia de que votação é obrigatória, podemos votar de duas maneiras diferentes. Mas qual é a diferença entre voto nulo e branco?


Voto em branco

Segundo informações presentes no Glossário Eleitoral do Tribunal Superior Eleitoral (TSE). O voto em branco é aquele em que o eleitor não manifesta preferência por nenhum dos candidatos!

Antes do aparecimento das famosas urna eletrônica, para votar em branco bastava não assinalar a cédula de votação, deixando-a em branco. Hoje em dia, apesar da tecnologia ter evoluído, a estratégia não se modificou muito. Para votar em branco é necessário que:

  • O eleitor pressione a tecla “branco” na urna;
  • Em seguida, a tecla “confirma”.

Diferença entre Voto nulo e branco


Voto nulo

Ainda utilizando informações do Glossário Eleitoral do Tribunal Superior Eleitoral (TSE). É considerado como voto nulo aquele em que o eleitor manifesta sua vontade de anular o voto. Para votar nulo, o eleitor precisa:

  • Digitar um número de candidato inexistente, como por exemplo, “00”;
  • E depois a tecla “confirma”.

Antigamente como o voto branco era considerado válido (isto é, era contabilizado e dado para o candidato vencedor), ele era tido como um voto de “conformismo”. Ou seja, o eleitor se mostrava satisfeito com o candidato que vencesse as eleições.

Sendo assim, a diferença entre voto nulo e branco era que o voto nulo (considerado inválido pela Justiça Eleitoral) era tido como um voto de “protesto” contra os candidatos ou contra a classe política em geral.


Como funcionam os votos válidos? 

Atualmente, vigora no pleito eleitoral o princípio da maioria absoluta de votos válidos, conforme a Constituição Federal e a Lei das Eleições. Este princípio considera apenas os votos válidos, que são os votos nominais e os de legenda, para os cálculos eleitorais.

Sendo assim, desconsiderando então os votos em branco e os nulos. A contagem dos votos de uma eleição está prevista na Constituição Federal de 1988. Segundo a Constituição:

É eleito o candidato que obtiver a maioria dos votos válidos, excluídos os brancos e os nulos“. 

Os votos em branco e os nulos simplesmente não são contados. Por isso, apesar do mito, mesmo quando mais da metade dos votos forem nulos, não é possível cancelar uma eleição! Ao contrário do que costumamos ouvir por ai.

Como é possível notar, os votos nulos e brancos acabam constituindo apenas um direito de manifestação de descontentamento do eleitor. Não tendo qualquer outra serventia para o processo eleitoral. Por isso, nosso conselho é estudar muito bem quem são os candidatos as eleições 2018. 

Exercer o seu direito (ou dever) de eleitor de forma correta, poderá ser a única maneira de modificar o cenário atual do país. Pense, conheça e vote consciente! 

 

PT Buscar Empresário para ser vice de Lula em eleições 2018

Não é novidade nenhuma que o ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva já se tornou um importante pré-candidato declarado ao Palácio do Planalto em 2018. Os novos rumores, no entanto, são sobre a escolha para o seu vice! De acordo com o site Correio Brasiliense, Lula já está à procura de um vice para a chapa.

No momento, o nome mais cotado, segundo aliados do petista, é o do empresário mineiro Josué Gomes da Silva, de 53 anos. Atual presidente da Coteminas.

PT Buscar Empresário para ser vice de Lula em eleições 2018

PT Buscar Empresário para ser vice de Lula em eleições 2018

Josué é filho do ex-vice-presidente José Alencar, eleito numa “dobradinha” com Lula em 2002 e também em 2006. José Alencar morreu em março de 2011. 

“O Josué vai ser o vice do Lula em 2018. Estive com os dois recentemente”, afirmou ao Estadão/Broadcast o deputado federal Reginaldo Lopes (PT-MG), ex-presidente do PT mineiro. De acordo com as informações do político, o ex-presidente e o empresário têm conversado bastante sobre o assunto.


Quem é Josué Gomes da Silva, possível candidato a vice de Lula nas eleições 2018?

Josué  – que adotou o sobrenome Alencar na eleição do ano de 2014, quando concorreu ao Senado por Minas Gerais – é filiado ao PMDB desde 2013. Para viabilizar uma eventual candidatura a vice de Lula em 2018, ele teria obrigatoriamente que deixar o partido.

O destino seria o PR, antigo PL, sigla que o seu pai foi filiado quando se candidatou a vice-presidente e na qual se manteve durante todo o governo do petista.

 

O empasse estaria na relação do PR, que hoje integra a base aliada do presidente Michel Temer, mas seus principais dirigentes, como o ex-deputado Valdemar Costa Neto (SP) e o atual presidente da sigla, o ex-senador Antonio Carlos Rodrigues (SP), têm boa relação com Lula.

“Sou o maior defensor dessa aliança. Mas é uma discussão partidária. Temos de aguardar os acontecimentos”, afirmou Rodrigues ao Correio Braziliense.

 

 

Josué Gomes da Silva, Empresário e possível vice de Lula em eleições 2018 (Foto: Reprodução/Internet)

Procurado pelo Correio Braziliense, Josué não quis se pronunciar sobre uma eventual candidatura no ano que vem. Também não comentou os rumores sobre a migração do PMDB para o PR. Por meio de sua assessoria, o empresário afirmou que “está totalmente dedicado à gestão das empresas da qual preside”.
 
 
Quando questionado, O Instituto Lula também não comentou o assunto.
 
No PT, a a principal afirmação é de que Josué como candidato a vice poderia ajudar e muito ao ex-presidente Lula reconquistar o apoio do empresariado brasileiro e até internacional. 
“O nome do Josué sempre foi lembrado e admirado por nós para ser alguém que nos ajude na nova política que o Brasil precisa. São pessoas como ele que o PT precisa trazer para perto”, disse o senador Jorge Viana (PT-AC), um dos parlamentares mais próximos do ex-presidente. 
 
Conforme Viana, na eleição de 2010, o nome do empresário chegou a ser cogitado como vice na chapa de Dilma Rousseff, mas houve resistência dentro do PMDB, que ao fim do embate escolheu Michel Temer.

Lula será ou não realmente um candidato a presidência em 2018?

Apesar de ser a grande promessa para as eleições 2018, Lula afirmou que o Partido dos Trabalhadores (PT) poderá ter que descartar sua candidatura e escolher outro candidato a presidente para as eleições 2018. Tudo isso vem acontecendo após as novas suspeitas contra o ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva, acusado de corrupção por ex-executivos de empreiteiras.

Luiz Inácio Lula da Silva é alvo de seis pedidos de abertura de inquéritos

Atualmente, Luiz Inácio Lula da Silva é alvo de seis pedidos de abertura de inquéritos enviados pelo ministro Edson Fachin, relator da Lava Jato no Supremo Tribunal Federal (STF), à primeira instância da Justiça Federal com base nas delações da Odebrecht.

Uma possível solução para legalizar a candidatura do ex-presidente são a mobilização popular em defesa do petista e a criação de uma narrativa favorável a Lula.

Afinal, uma grande quantidade de sindicatos e movimentos sociais já estão realizando desde o início do ano de 2017 atos em todo o Brasil em defesa do ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva, pelo ‘fora Temer’, ‘diretas já’ e contra as reformas trabalhista e da Previdência.

 

DEM tem dúvidas sobre querer Doria como candidato a presidente em 2018

O Partido DEM está bastante dividido sobre a possibilidade de acolher o prefeito da cidade de São Paulo João Doria em suas fileiras e lançá-lo candidato a presidente da República em 2018. Este empasse está no fato de que o partido terá problemas com o governador Geraldo Alckmin (PSDB), que hoje ver sua vaga “praticamente garantida” na próxima disputa eleitoral ameaçada pelo favoritismo de João Doria.

DEM tem dúvidas sobre querer Doria como candidato a presidente em 2018

DEM tem dúvidas sobre querer Doria como candidato a presidente em 2018

Mas, a escolha para a ocupação da vaga para a presidência das eleições 2018 anda bastante complicada! O presidente da Câmara dos Deputados, Rodrigo Maia, já deu estocadas no tucano e minimizou a tal possibilidade. Por outro lado, inúmeros grupos como o do ministro Mendonça Filho, da Educação, por exemplo, não têm antipatia pela ideia de ter Doria no partido.

O tão falado João Doria, que viaja o País em campanha eleitoral antecipada, tem reiterado que não sai do PSDB em nenhuma hipótese. O que só aumenta o impasse entre ele e o Governador Geraldo Alckmin: Qual dos dois políticos irá se candidatar para presidente da República em 2018 pelo PSDB?

O nome do prefeito, contudo, enfrenta uma série de resistências entre setores tucanos. O presidente interino do PSDB, Tasso Jereissati (CE), conforme apurou o Estadão, disse em reunião interna que o governador Geraldo Alckmin “tem preferência” na fila na escolha do candidato.

PSDB segue sem a definição de quem escolherá para o páreo. De um lado está o novato prefeito João Doria, do outro o experiente governador Geraldo Alckmin.

 

O grupo dos “tucanos históricos” de São Paulo, do qual fazem parte o ex-governador Alberto Goldman e José Aníbal, presidente do Instituto Teotônio Vilela, também não aceita a opção Doria.

Presidente licenciado do PSDB, o senador Aécio Neves (MG), que mantém influência na sigla, é outro que entrou em rota de colisão com o prefeito após Doria defender publicamente seu afastamento do comando do PSDB. 


O Presidente Michel Temer também tenta atrair Doria para a eleição 2018

Além do desejo já citado pelo partido Democratas, o convite para que João Dória se retire do PSDB ganha mais força quando o próprio atual presidente Michel Temer diz a prefeito de SP que ‘as portas do PMDB estão abertas’ para ele concorrer ao Planalto no ano que vem.

A disputa interna do PSDB pela vaga de candidato à Presidência em 2018 vem mexido muito com os partidos aliados dos tucanos. DEM e PMDB, que integram a núcleo duro de apoio ao governo Michel Temer, se aproximaram do prefeito João Doria e sinalizaram positivamente para as possibilidade de lançá-lo candidato ao Planalto.

O prefeito de São Paulo, João Doria (PSDB), se reúne com o presidente da Câmara, deputado Rodrigo Maia, do DEM Foto: Fábio Rodrigues Pozzebom/Agência Brasil

O “convite” foi realizado durante uma conversa entre eles, na Prefeitura de SP, pouco antes de um evento no qual o presidente distribuiu publicamente diversos elogios a Doria, segundo relatos de quem estava no local.

Mas segundo o site do Estadão, Quando procurada, a assessoria do Planalto negou totalmente o convite!

Resumindo, O prefeito de São Paulo tem dito que não vai entrar na disputa se Alckmin, que é seu padrinho político, se colocar como candidato. Porém, cada vez mais ele tem adotado discursos e agendas de quem pretende concorrer (Dentro ou fora do PSDB)!

E você, o que acha sobre o prefeito João Doria se candidatar para a presidência nas eleições 2018? Deixe o seu A sua participação é de extrema importância.

 

Lula diz que PT pode ter que escolher outro candidato a presidente para 2018

Apesar de ser a grande promessa para as eleições 2018, Lula afirmou que o Partido dos Trabalhadores (PT) poderá ter que descartar sua candidatura e escolher outro candidato a presidente para as eleições 2018. Tudo isso vem acontecendo após as novas suspeitas contra o ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva, acusado de corrupção por ex-executivos de empreiteiras.

O receio é que uma condenação em segunda instância na Operação Lava-Jato, tornando Lula um candidato inelegível com base na Lei da Ficha Limpa.

eleições 2018

Lula diz que PT pode ter que escolher outro candidato a presidente para 2018

Lula, durante uma entrevista a revista Reuters, afirmou estar bastante relutante contra essa situação”Sei que meus inimigos querem impedir qualquer possibilidade de eu me tornar candidato e estou lutando fortemente contra isso. Mas ninguém é insubstituível. Se houver algum problema com a minha candidatura, o PT terá de conseguir lançar um outro candidato.”

➤ Veja os resultados das: Últimas Pesquisas Eleições 2018

 

A reação do PT às novas suspeitas é reforçar o máximo possível o empenho na defesa de Lula tanto nas ruas quanto nas redes sociais oficiais do candidato. Afinal, nenhum dos seus aliados dentro do partido ousará questionar ou cobrar explicações sobre as acusações contra o ex-presidente.

Lula é visto no Partido dos Trabalhadores como alvo de perseguição da Lava-Jato e vítima de uma campanha para impedir sua candidatura em 2018. Por outro lado, após a divulgação dos depoimentos da Odebrecht e a delação do empreiteiro José Adelmário Pinheiro Filho, o Léo Pinheiro, da OAS, a possibilidade de condenação para o candidato, se torna muito maior.

Atualmente, Luiz Inácio Lula da Silva  é alvo de seis pedidos de abertura de inquéritos enviados pelo ministro Edson Fachin, relator da Lava Jato no Supremo Tribunal Federal (STF), à primeira instância da Justiça Federal com base nas delações da Odebrecht.


Possível Solução para o desfalque que Lula fará nas eleições 2018

Embora a ordem inicial seja sair em defesa de Lula, no PT já se fala em um cenário no qual ele seria um grande cabo eleitoral transferindo votos para outro candidato e apesar de não ser a situação dos sonhos para os partidos de esquerda, já é de grande valia.

 Uma das possibilidades é o partido indicar um nome para ser vice na chapa de Ciro Gomes (PDT). O mais citado é o do ex-prefeito de São Paulo Fernando Haddad. 

Além disso, uma possível solução são a mobilização popular em defesa do petista e a criação de uma narrativa favorável a Lula. Afinal, uma grande quantidade de sindicatos e movimentos sociais já estão realizando desde o início do ano de 2017 atos em todo o Brasil em defesa do ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva, pelo ‘fora Temer’, ‘diretas já’ e contra as reformas trabalhista e da Previdência.

PT e movimentos sociais fazem ato pró-Lula 2018

Mas, o Partido dos Trabalhadores anda bastante dividido. Em uma entrevista ao portal Gazeta on-line, o presidente do Instituto Lula, Paulo Okamotto afirmou “Essa possibilidade (de o Lula não poder concorrer) não passa pela nossa cabeça. Nós só temos um plano, o plano A”.

Outro componente de peso do PT, Marcio Macedo, um dos vice-presidentes, indagou “Não vamos aceitar esse tipo de condenação política sem nenhuma prova material.”

E você, o que acha que acontecerá com o ex-presidente Lula em 2018? Acredita em uma possível candidatura ou é a favor da sua condenação? Deixe o seu comentário! A sua participação é de extrema importância.

Em breve voltaremos com novidades sobre as eleições 2018, continue nos acompanhando!

Geraldo Alckmin volta a afirmar a vontade de ser candidato a presidente em 2018

As movimentações para as eleições 2018 já estão bastante intensas e um dos grandes pontos de atenção fica para a definição da candidatura do PSDB, que deve ocorrer até os últimos meses do ano de 2017! Enquanto isso, o governador Geraldo Alckmin já anunciou a sua intenção de se pré-candidatar.

eleições 2018

Geraldo Alckmin volta a afirmar a vontade de ser candidato a presidente em 2018

“Se você me perguntar se quero ser, eu digo que sim e estou preparado para ser candidato. Não vai ser fácil o futuro, mas o Brasil tem tudo para se recuperar —” , afirmou o governador Geraldo Alckmin num vídeo em que respondeu a perguntas de internautas pelo Twitter do Jornal O Globo.

Enquanto isso, o prefeito de São Paulo João Doria, apesar de ainda não ter manisfestado publicamente o desejo de se tornar o próximo presidente do país, já foi sondado por partidos como o DEM e também o PMDB.

Os convites vêm por causa das pesquisas de intenção de votos: Desde o período que assumiu o seu cargo na prefeitura de SP, Doria tem obtido resultados melhores que Alckmin.

PSDB segue sem a definição de quem escolherá para o páreo. De um lado está o novato prefeito João Doria, do outro o experiente governador Geraldo Alckmin.

Conforme pesquisa do DataPoder360 do mês de agosto, o prefeito teria 12% dos votos, diante dos 4% do governador. Por outro lado, os resultados do Instituto Paraná foram mais otimistas, apontando 40,3% das intenções voltadas para João Doria e somente 13,2% das intenções para Geraldo Alckmin.

Visando não perder o lugar para o companheiro de partido, o argumento da experiência política tem sido usado pelo governador inclusive dentro do partido como trunfo contra Doria. Afinal, o prefeito está em seu primeiro mandato, enquanto Alckmin acumula mais de 30 anos na política.

Vale lembrar que, no ano de 2006, o governador disputou a eleição com o ex-presidente Lula e perdeu no segundo turno.

Ainda durante a sua entrevista ao Twitter do Jornal O Globo, Geraldo Alckmin continuou ” Candidatura a cargo majoritário, como presidente da República, não é uma decisão pessoal. É uma decisão coletiva que começa pelo partido, tem que ouvir as alianças, a sociedade. Este é o bom caminho.”

Doria, que chegou à prefeitura de São Paulo tendo Alckmin como padrinho político, começou a rodar o país nas últimas semanas para receber homenagens e fazer reuniões com políticos e empresários. Aliados de Alckmin veem na iniciativa uma tentativa do prefeito de viabilizar uma candidatura à Presidência.

Doria não descarta publicamente a possibilidade, para irritação do grupo de Alckmin, mas garante que não disputará prévia com o governador.


Principais Candidatos a presidência nas eleições 2018 (Pesquisas)

O Brasil está a menos de um ano das convenções partidárias que lançarão os próximos candidatos à Presidência da República. As siglas políticas poderão se reunir entre 20 de julho e 5 de agosto de 2018 para definir as chapas que deverão ser inscritas até o dia 15 de agosto. 

Confira agora quais são os nomes mais cotados para as eleições 2018, de acordo com a revista revista norte-americana Forbes:

  1.  Lula (PT)
  2. Marina Silva (Partido Rede)
  3. Jair Bolsonaro (Partido social-cristão)
  4. Joaquim Barbosa (Ex-juiz da Suprema Corte)
  5. Geraldo Alckmin (PSDB)

A revista Forbes ainda observa que em janeiro de 2019 um novo presidente assumirá a liderará um país que implodiu completamente, desde os seus melhores tempos em meados da década de 2000. 

Para você, quem terá realmente chances de se dar bem nas eleições 2018? Deixe o seu comentário, pois a sua participação é de grande importância.

Como Anular Voto nas Eleições 2018?

Se perguntando como anular voto nas eleições 2018? Embora, daqui a algum tempo seja necessário escolher os novos políticos que irão nos representar, você não tem a obrigação de realmente escolher um nome ou partido, por isso é deve saber como anular voto nas eleições 2018!

Como Anular Voto nas Eleições 2018

Como Anular Voto nas Eleições 2018

Na urna eletrônica, não existe um botão para votar nulo, mas isso não significa que você não tenha como anular voto nas eleições 2018.

Apesar existem alguns processos a serem seguidos e caso essa seja a sua decisão final diante da urna, acompanhe nosso artigo e saiba como realizar essa ação!

Retire suas dúvidas sobre o Voto Nulo das eleições 2018

O que significa “votar nulo”?

O voto nulo não é considerado um voto válido em nenhum processo eleitoral! Na realidade ele indica que o eleitor decidiu por não escolher nenhum dos candidatos que concorre ao cargo político.

No Brasil, muitos eleitores votam nulo como forma de protesto, indicando insatisfação com os candidatos elegíveis. Uma das maiores razões para se votar nulo, é a corrupção que assombra a política nacional, por exemplo.

O que acontece se eu votar nulo?

Quando um eleitor decide votar nulo, automaticamente irá interferir no resultado das eleições 2018.

Por isso ao tomar essa decisão, será necessário uma dose de responsabilidade!

Isso por que o candidato com mais votos fica mais perto de vencer a eleição no primeiro turno, ou seja, ao votar nulo você irá “dar uma forcinha” ao político que já esteja em primeiro lugar na disputa política.

Diferença entre voto nulo e voto anulado?

Apesar de terem nomes bastante parecidos, possuem um significado muito distinto!

O voto nulo se trata de uma posição apartidária e não pressupõe novas eleições com novos candidatos.

Por outro lado, a anulação dos votos ocorre quando se verifica uma irregularidade (por exemplo, fraude ou coação) no candidato vencedor das eleições.

Caso isso aconteça, é necessário haver um novo processo eleitoral!

Os votos só serão anulados se o candidato eleito for condenado por abusar do poder econômico, por comprar votos ou por interferir com o poder político ou da autoridade.

Lembrando que isso só acontece se houver uma longa investigação e o candidato for considerado culpado.

Como anular voto nas eleições 2018?

Do modo em que o país se encontra, muitos cidadãos se encontram bastante insatisfeitos e em busca de grandes mudanças políticas, sociais e econômicas.

Uma maneira de alcançar essa mudança é protestando e para anular voto nas eleições 2018 você precisa seguir os passos abaixo:

  • Ir até a sua sessão eleitoral, portando título de eleitor e um documento oficial com foto;
  • Ao ser solicitado pela urna o número de algum candidato, escolha dois números que não represente nenhum político ou partido, como por exemplo “00” ou outros dois números que não se associe a nenhuma coligação política oficial;
  • Aperte o botão verde, escrito “Confirma” e espere aparecer a palavra “FIM”.

Porém, uma verdadeira mudança só aconteceria se a maior parte dos eleitores anulasse o seu voto, se tornando resultado aquela velha história de que “a união faz a força”.

Caso contrário, seu voto nulo só auxiliará um determinado político já na liderança da disputa alcançar a vitória.

Agora  você já sabe como anular voto nas eleições 2018, mas se ainda restar alguma dúvida, deixe o seu comentário abaixo!

Certidão de Quitação Eleitoral: Como obter certidão?

certidão de quitação eleitoral é um documento para comprovar que os eleitores não possuem pendência com a Justiça Eleitoral, ou seja, estão totalmente em dia com seus deveres democráticos. Caso você esteja em busca de informações sobre a  certidão de quitação eleitoral e como obtê-la, acompanhe e fique por dentro!

Certidão de Quitação Eleitoral

Certidão de Quitação Eleitoral

Ao ter acesso a sua certidão de quitação eleitoral, você estará atestando a plenitude do gozo dos direitos políticos, o que será muito válido durante algumas situações como a retirada de vistos para a realização de viagens ou a inscrição em concursos públicos ou vestibulares ao redor do país.


Como obter a minha Certidão de Quitação Eleitoral?

Conforme disciplinado pelo 7º do art. 11 da Lei nº 9.504, de 1997 , as certidões eleitorais são uma forma de regularizar o eleitor, caso o mesmo precise atestar a existência ou inexistência de registro no histórico de inscrição eleitoral (título de eleitor).

A forma mais fácil de obter uma certidão de quitação eleitoral é por meio do site do Tribunal Superior Eleitoral (TSE) clicando aqui!

A emissão da sua certidão de quitação eleitoral pela Internet somente será possível se:

  • Não houver divergência entre os dados informados e aqueles registrados no Cadastro Eleitoral;
  • Não existir restrição no histórico de sua inscrição (por exemplo, ausência não justificada às eleições);
  • Todos os campos do formulário disponibilizado pelo site do TSE  forem preenchidos.

 

Para EMITIR o seu documento de quitação, siga os passos abaixo:

  • Clique aqui e escolha qual a certidão pretende emitir;
  • Ao ser encaminhado a uma nova janela, leia atentamente as orientações;
  • Em seguida, clique na opção “Li os termos e desejo emitir/validar a Certidão de Quitação Eleitoral”;
  • Clique na opção “Emissão de certidão” (caso ainda não tenha solicitado);

  • Insira o número do seu título, nome completo, data de nascimento e nome dos seus pais ou responsáveis;
  • Clique na opção “Emissão Certidão”.

Precisa VALIDAR a sua certidão de quitação eleitoral? Acompanhe os passos:

  • Clique aqui e escolha qual a certidão você  pretende validar;
  • Ao ser encaminhado a uma nova janela, leia atentamente as orientações;
  • Em seguida, clique na opção “Li os termos e desejo emitir/validar a Certidão de Quitação Eleitoral”;
  • Clique na opção “Validação de certidão” (caso já tenha solicitado o documento anteriormente);

  • Insira o número do seu título, data, hora e código da sua emissão de certidão;
  • Clique na opção “Validar”

Não consigo obter a minha Certidão de Quitação Eleitoral pela internet! O que devo fazer?

Caso o documento não seja emitido, o eleitor pode solicitá-la em qualquer cartório ou posto de atendimento eleitoral, onde será orientado quanto à regularização de sua situação.

Além disso, a validação da sua certidão (confirmação de autenticidade) poderá ser feita pelo órgão ou pela instituição onde for apresentada.

Os endereços e telefones dos cartórios eleitorais podem ser obtidos nos sítios dos Tribunais Regionais Eleitorais. Basta apenas escolher o seu estado no mapa, como mostra a imagem a seguir:

Você ainda possui alguma dúvida sobre a certidão de quitação eleitoral?  Então deixe o seu comentário abaixo e em seguida iremos fazer o possível para solucioná-la!

 

Quem Não é Obrigado a Votar? Saiba Aqui!

Você sabe quem não é obrigado a votar nas eleições 2018? Os processos eleitorais possuem  regras que a população precisa ficar ciente para não cometer erros. Confira quem não é obrigado a votar e comparecer nas sessões eleitorais, acompanhando o artigo abaixo!

Quem Não é Obrigado a Votar

Quem Não é Obrigado a Votar

Quem Não é Obrigado a votar? Saiba Aqui!

Geralmente, nós, eleitores temos algumas dúvidas sobre como funcionam os processos eleitorais e por ser algo de caráter obrigatório, trouxemos hoje algumas informações importantes, incluindo quem não é obrigado a votar nas eleições 2018.

 

Quem Não é Obrigado a Votar?


Eleições 2018

As eleições são a maior forma de expressão popular, é através desse processo que uma sociedade se torna democratizada.

No ano de 2018, a escolha dos novos políticos farão muita diferença no cenário político, social e principalmente econômico.

Mas, apesar dos processos eleitorais serem obrigatório, existe uma grande parte da população brasileira que não precisa votar, saiba quem são!

Quem não é obrigado a votar e participar das eleições 2018?

De acordo com o Tribunal Superior Eleitoral , a lei prevê que em alguns casos o voto é facultativos, mais concretamente para os analfabetos, para os maiores de 70 (setenta anos) e para os maiores de 16 (dezesseis) e menores de 18 (dezoito) anos.

Ou seja, essas pessoas votam apenas se realmente quiserem, pois não há obrigação.

Além dessas pessoas, existem outras situações em que o brasileiro não é mais obrigado a participar dos processos democráticos.

Além disso, algumas pessoas não são obrigadas a votar porque foram privadas dos seus direitos políticos, de maneira temporária ou definitiva.

 

Aqueles que não estão sem seu domicílio eleitoral também não pode votar mas, ao contrário dos demais, devem justificar sua ausência à Justiça Eleitoral. Isso porque, no Brasil, não existe o chamado voto em trânsito.

→ Saiba mais sobre como justificar votos nas eleições 2018 clicando aqui

Através da resolução nº 21.920 de 19 de Setembro de 2004, no artigo 1º, as pessoas portadoras de deficiência são obrigadas a votar, mas caso a condição do portador da deficiência impossibilite o seu voto ou torne o ato de votar demasiado difícil, ela não sofrerá nenhuma sanção, ou seja não será penalizada por isso.

Para não ter problemas com o TSE, a pessoa portadora de deficiência deverá apresentar ao juiz eleitoral um documento que comprove a sua deficiência , podendo obter dessa forma uma certidão de quitação eleitoral com prazo de validade indeterminado.


Como o eleitor com deficiência pode ser transferido para a seção especial?

Para poder efetuar o seu voto em uma Seção Eleitoral Especial, o eleitor com deficiência deve apresentar o seu pedido até 151 dias antes das eleições. 

A transferência para uma seção especial de voto requer que o eleitor compareça no cartório eleitoral do seu domicílio eleitoral com o título de eleitor e o seu RG ou outro documento oficial com foto. 

Além disso, os eleitores com deficiência que solicitam a transferência têm até 90 (noventa) dias antes das eleições para comunicar por escrito ao Juiz Eleitoral quais são as suas necessidades.

Também é preciso informar que tipo de assistência vai precisar, para que a Justiça Eleitoral possa providenciar uma Seção Eleitoral Especial, para que o exercício do voto não seja prejudicial para você.

Agora você já sabe quem é e quem não é obrigado a votar! Caso ainda possua alguma dúvida, deixe o seu comentário logo abaixo.

 

 

Como Justificar Voto nas Eleições 2018

Vai viajar ou tem compromisso no dia da votação? Saiba como justificar voto nas eleições 2018! O eleitor que estiver fora de seu domicílio eleitoral poderá contar com um “plano B” junto ao Tribunal Superior Eleitoral – TSE, confira  e entenda como justificar voto nas eleições 2018.

Como Justificar Voto nas Eleições 2018

Como Justificar Voto nas Eleições 2018

Assim como o ato de votar é obrigatório, a sua justificativa de ausência também será!

Entenda como justificar voto nas eleições 2018 e quais documentos são necessários para estar em dia com as leis nacionais.

Como Justificar Voto nas Eleições 2018

Retire suas dúvidas em relação a Justificativa de votos nas Eleições 2018

Milhões de eleitores são esperados nas urnas para o primeiro turno das eleições 2018, porém muitos deles não poderão cumprir o seu dever democrático.

Por isso, quem está fora do seu domicílio eleitoral no dia da votação, é necessário ficar atento às orientações do Tribunal Superior Eleitoral (TSE).


Como Justificar Voto nas Eleições 2018?

Como já foi citado, a justificativa da ausência nas eleições deve ser realizada conforme indicado pelo TSE. O primeiro passo é comparecer em um dos locais destinados ao recebimento das justificativas munido do Requerimento de Justificativa Eleitoral (RJE) preenchido corretamente  nos dias de votação (1° ou 2° turno).

Onde encontro o Requerimento de Justificativa Eleitoral?

O Requerimento de Justificativa Eleitoral é gratuito e está disponível nos seguintes locais:

  • Postos de atendimento ao eleitor;
  • Cartórios eleitorais ;
  • Seção eleitoral.

Lembrando que o documento estará disponível no dia do pleito! Para obter o seu requirimento on-line clique aqui!

Além do Requirimento, o que mais preciso levar para justificar meu voto?

Os documentos necessários para realizar a sua justificativa são:

  •  RG, passaporte ou outro documento oficial com foto, de valor legal equivalente, inclusive carteira de categoria profissional reconhecida por lei;
  • Título de Eleitor.

Não pude justificar no dia das eleições 2018, posso justificar depois?

Passado o dia oficial das eleições, você poderá obter um novo tipo de Requerimento de Justificativa Eleitoral clicando aqui e em seguida, encaminhá-lo a qualquer cartório eleitoral ou posto de atendimento ao eleitor após a eleição, no prazo de 60 (sessenta) dias.

Clique aqui e tenha acesso ao formulário de justificação após a data das eleições!

Passado o prazo de 60 dias após a eleição, o eleitor deverá realizar o mesmo processo, porém deverá pagar uma multa no valor de R$ 3,51.

Além disso, o eleitor terá o seu caso julgado pelo juiz que poderá ou não isentar o eleitor do pagamento da multa.

Caso eu opte por não justificar o meu voto, o que acontecerá comigo?

O eleitor que não justificar a ausência do voto, ficará vetado dos seguintes direitos:

  • Solicitar passaporte ou carteira de identidade;
  • Receber o salário ou qualquer remuneração vinda de entidades públicas ou subsidiadas pelo governo a partir do segundo mês após a eleição;
  • Participar de concorrência pública ou administrativa em qualquer autarquia da União, dos estados, dos municípios ou do Distrito Federal;
  • Requerer empréstimos em qualquer banco ou estabelecimento de crédito mantido pelo governo;
  • Se inscrever em concursos públicos ou tomar posse de cargos públicos;
  • Renovar matrícula em qualquer instituição de ensino pública ou fiscalizada pelo governo;
  • Solicitar qualquer documento que necessite da quitação eleitoral.

Agora que você já sabe como justificar voto nas eleições 2018, não deixe de ficar de acordo com as leis nacionais!

A democracia é uma conquista muito importante para os brasileiros e por isso devemos respeitá-la ao máximo.